Qual a melhor tributação para autopeças?

Qual a melhor tributação para autopeças?

Quando falamos em abrir uma empresa de autopeças, logo pensamos em vender muito, posicionar nossas marcas e crescer. Mas, para que tudo isso aconteça da melhor forma, é essencial que o empresário esteja atento e saiba qual a melhor tributação para sua autopeças e quando falamos de tributação, é importante ressaltar que sejam bem assessorados para evitar possíveis falhas.

Perfil tributário para autopeças

Não é possível falar de tributação se não iniciarmos o assunto logo pelo perfil tributário, apesar de 90% dos empresários acreditarem que o regime tributário “X” é o melhor, mas nem sempre ele está correto, é necessária uma análise de todo o contexto para então confirmar se realmente será ou não a melhor tributação para o seu negócio.

Os 3 regimes tributários e suas alíquotas tributárias

Simples Nacional:

O Simples Nacional é o regime tributário mais recente, ele foi constituído em 1996 passando por diversas mudanças desde seus limites de faturamento até as atividades permitidas. O simples nacional é o único regime tributário com tabela progressiva, ou seja, de acordo com a atividade, anexo de enquadramento e faturamento é identificado a alíquota inicial a ser recolhida.

Anexo I – Simples Nacional

(Comércio de autopeças se enquadra neste anexo)

Faturamento inicial: Até R$ 180.000,00 e Alíquota 4%

Faturamento Final: De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 e Alíquota 19%

Anexo II – Simples Nacional

Faturamento inicial: Até R$ 180.000,00 e Alíquota 4,5%

Faturamento Final: De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 e Alíquota 30%

Anexo III – Simples Nacional

Faturamento inicial: Até R$ 180.000,00 e Alíquota 6%

Faturamento Final: De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 e Alíquota 33%

Anexo IV – Simples Nacional

Faturamento inicial: Até R$ 180.000,00 e Alíquota 4,5%

Faturamento Final: De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 e Alíquota 33%

Anexo V – Simples Nacional

Faturamento inicial: Até R$ 180.000,00 e Alíquota 15,5%

Faturamento Final: De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 e Alíquota 30,50%

Lucro Presumido

Já o regime tributário Lucro Presumido em alguns casos são mais simples de ser calculado e parte das vezes, pode ser vantajoso para o empresário, uma vez que a Receita Federal presume (estabelece) uma margem de lucro fixada, ou seja, se o empresário trabalhar com margem de lucro superior ao estabelecido será uma vantagem, uma vez que o seu imposto não irá aumentar por conta desse fator, mas, se o empresário trabalhar sem a ter lucro ainda sim será obrigado a pagar o IRPJ e CSLL.

Uma desvantagem é que o Lucro Presumido não se beneficia de PIS e Cofins, porém ele precisa pagar esses impostos no momento de suas vendas.

Lucro Real

Indicado para empresas de grande porte com faturamento anual acima de 78 milhões, o lucro real tem sua tributação sobre o faturamento líquido, o que torna um regime tributário vantajoso e atraente.

Por se tratar de um perfil tributário pouco aplicado a comércios não iremos nos aprofundar nesse artigo, porém se você já é uma rede de lojas de autopeças, franqueadora ou distribuidora basta entrar em contato com nossos especialistas.

O que mais impacta na tributação de uma loja de autopeças?

Além do perfil tributário conforme mencionado acima também um fator muito importante é a NCM – Nomenclatura Comum do Mercosul – o NCM de um produto tem total impacto sobre a tributação de uma loja de autopeças, isso porque, muitas vezes se trata de produtos monofásicos, e por um erro de parametrização do sistema ou uma assessoria ineficiente a sua empresa pode estar pagando imposto indevido.

Como é o caso de grande parte de produtos revendidos nas lojas de autopeças, muitos desses produtos são de tributação monofásica, ou seja, tributados diretamente na fonte seja industria ou importadora e quando o produto é tributado apenas na fonte é dispensado o recolhimento pela revenda.

Portanto, se você tem produtos na sua loja de autopeças que estão recolhendo PIS e COFINS é importante fazer uma análise para identificação e correção caso hajam erros, e em mais de 63,7% dos casos que nos procuram identificamos tais erros.

O que fazer caso tenha pagado PIS e COFINS indevidamente?

Caso você tenha realizado o recolhimento desses impostos de forma indevida na sua loja de autopeças é possível realizar uma revisão de todos os valores pagos nos últimos 5 anos, e buscar assim a restituição dos valores pagos.

Assim como também é possível realizar análise sobre valores de ICMS-ST e ICMS Difal, possibilitando que a sua loja de autopeças reveja boa tarde dos valores e com isso consiga fortalecer o seu caixa e aplicar tais valores em novas estratégias para o crescimento da empresa, pagamento de fornecedores com transferência de créditos entre diversas outras oportunidades.

Conclusão

Como você pode observar, não é possível afirmar a melhor tributação para a sua loja de autopeças, para isso é essencial realizarmos uma análise completa da sua empresa identificando a atual situação e todas possibilidades para existentes para enquadrar a sua empresa na melhor categoria ou corrigir possíveis erros de classificação dos produtos ou configurações do sistema, entre em contato com os nossos especialistas e solicite uma análise tributária completa.